Posts em: Mercado





14 de julho de 2017

Alphaville se destaca em lançamentos imobiliários

Bairro nobre de Barueri, Alphaville tem se destacado nos últimos anos como importante centro econômico. Em virtude disso, diversas incorporadoras e construtoras já estão apostando na região, que a cada ano que passa ganha novos empreendimentos de alto padrão. Confira os últimos lançamentos que estão sendo comercializados pela Fernandez Mera:

The Garden Gramercy Park

Localizado na Avenida Parkinson, o The Garden Gramercy Park terá apartamentos de 200 m² com 3 e 4 suítes. O empreendimento terá torre única, garantindo ainda mais exclusividade aos moradores. O lazer é completo e inclui até sauna seca, piscina, salão de jogos, fitness, espaço de festas e brinquedoteca, além de acesso particular ao parque vizinho, que possui 26.800m².

Boulevard Tamboré

Outro lançado de sucesso na região é o Boulevard Tamboré. O empreendimento terá apartamentos de 136 m², 168 m² e 224 m² de 2 a 4 suítes. Já o lazer contará com uma área verde preservada de 21 mil m², piscina, tênis, espaço de descanso com sauna seca, fitness, espaço gourmet e pet place.

Wave Alphaville

Inspirado nos modernos prédios de Dubai, New York e Miami, o Wave Alphaville é um projeto diferenciado. O empreendimento possui apartamentos de 53m² a 88m² de 1 a 3 dormitórios. O lazer está disposto em mais de 1.800 m², incluindo: brinquedoteca, espaço gourmet, piscina, playground, sauna seca, SPA, fitness, espaço kids e muito mais.





30 de junho de 2017

Morumbi é bairro mais desejado para a compra do imóvel

Pesquisa realizada pelo portal Moving Imóveis indicou os 15 bairros onde houve maior procura por compra e locação no ano passado, conforme publicado no Estadão. Perdizes, Tatuapé, Mooca e Vila Mariana são bastante procurados tanto por quem deseja comprar quanto alugar.
Localizado na Zona Sul de São Paulo, o Morumbi é o bairro mais buscado para a compra do imóvel e motivos não faltam para isso. Confira:
Arborização
A urbanização do Morumbi começou na década de 1940, por iniciativa do engenheiro Oscar Americano, que prezava muito pela arborização. Em virtude disso, a região é até hoje uma das verdes da capital paulista.
Comércio
O bairro possui diversas opções de comércio, incluindo o Shopping Jardim Sul, onde toda a família, incluindo os cachorros, são bem-vindos e o Shopping Morumbi.
Passeios
Nem é preciso se distanciar do Morumbi para encontrar ótimas alternativas de lazer. A Casa de Vidro, o Parque Alfredo Volpi, o Estádio do Morumbi, Fundação Maria Luísa e Oscar Americano e o Parque Burle Marx são alguns passeios interessantes a se fazer na região.
Empreendimentos
Diversos empreendimentos de alto padrão estão sendo construídos no Morumbi. Esse é o caso do Duo Morumbi da Tishman Speyer. Além da localização privilegiada, o Duo Morumbi se destaca em cada detalhe, que foi pensado para proporcionar o máximo de conforto e sofisticação. Saiba mais: http://www.fernandezmera.com.br/duomorumbi/





4 de abril de 2017

Parnaíba acelera economia e busca atrair novos negócios

Na quarta-feira (29) foi realizado o 1º Prêmio Empresarial de Desenvolvimento Econômico de Santana do Parnaíba. No evento, Elvis Cezar (PSDB) reforçou a intenção de abrir as fronteiras do município.

Com aproximadamente 500 empresários – número passado durante a cerimônia – que se reuniram naquela manhã com representantes do município e, inclusive, do governo do Estado, o principal motivo do evento, ao se escutar os anfitriões da casa, era homenagear e agradecer os esforços dos empresários da cidade e exibir os avanços do município nos últimos anos, a fim de atrair novos investidores. “Temos registrado expressivos avanços na cidade, com uma gestão voltada para o desenvolvimento”, comentou o secretário de Emprego e Desenvolvimento Econômico e Social, Mauro Brunetto, ao abrir oficialmente a premiação.
Vice-presidente da Associação Comercial de Santana de Parnaíba, Américo Ishizaki, reforçou o empenho desses empresários e a importância de políticas que estimulam e fortalecem a categoria de alguma forma. “Em anos difíceis aprendemos a encontrar novas saídas e estamos à frente em 2017”, ressalta Américo.
Com discurso caloroso, Elvis reforçou a importância dos empresários e agradeceu aos líderes “que têm feito a diferença em Parnaíba”. Em seu segundo mandato, é nítida uma postura mais segura do tucano. Sem seguir roteiros, ele interagiu com os convidados e improvisou quando as apresentações não saíram como o esperado no telão. Com essa postura ele apresentou os índices do município. Se antes ele reforçava o trabalho na educação, saúde e mobilidade urbana, hoje ele usa essas vertentes como fatores que devem fazer com que a cidade cresça nos próximos anos, não só no Estado, como fora do país, situação que começou recentemente com a assinatura de protocolos de intenção com a Espanha, Itália, Córdoba (Argentina) e Montevidéu (Uruguai), com o objetivo de estabelecer uma plataforma de negócios entre Parnaíba e esses locais.
Emprego
Para dar sustentabilidade a esse sistema, o Executivo quer investir na formação da população, a fim de motivar o emprego de moradores nas empresas da cidade. Com a chegada de faculdades no município (Fatec, Faculdades de Santana de Parnaíba e, em breve, a Univesp), Elvis quer que 10% da população economicamente ativa na cidade tenha nível superior.
Já os desempregados, a partir de 18 anos, que não estão recebendo seguro-desemprego ou benefício de outro programa social, poderão contar com o Programa Municipal Social de Qualificação Profissional e Reinserção no Mercado de Trabalho, projeto de autoria do Executivo que foi aprovado na última terça-feira (28) na Câmara Municipal.
Ranking
Ainda durante o evento foi divulgado o índice CFA (Conselho Federal de Administração) de Governança Municipal – IGM – CFA, no qual Santana de Parnaíba aparece em 2º lugar em um ranking nacional, atrás apenas de Ilhabela (SP).
O estudo dá notas de 0 a 1 com base em três dimensões: gastos e finanças públicas; qualidade da gestão e desempenho. A partir dessa análise, Parnaíba conseguiu pontuação 0,757. Ilhabela teve nota 0,767.

 





14 de março de 2017

Entenda as mudanças do FGTS para a compra do seu imóvel

No mês passado o Conselho Monetário Nacional mudou as regras para a utilização do FGTS na compra de imóveis novos. Em 2017 poderão ser financiados com o Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS) imóveis de até R$1,5 milhão. A regra vale para todos os estados brasileiros e para contas ativas e inativas.
Antigamente, o limite era de R$950 mil para quem desejava comprar empreendimento em São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Rio de Janeiro. No restante do país, o limite era de R$800 mil.
O objetivo do governo é estimular a construção civil, que no último ano cortaram milhares de vagas. Além disso, essa é uma oportunidade para quem deseja comprar um imóvel e ter facilidade de pagamento.
Aproveite esse momento e confira os empreendimentos da Fernandez Mera: http://www.fernandezmera.com.br/





25 de novembro de 2016

Governo eleva limite para uso do FGTS na compra da casa própria

Imóvel poderá custar até R$950 mil. Mudança vale para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal

BRASÍLIA, RIO E SÃO PAULO – Para tentar estimular o setor imobiliário, o governo decidiu aumentar o limite para o uso de FGTS na compra de imóveis de R$ 650 mil para R$ 800 mil. Em Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, o valor subirá de R$ 750 mil para R$ 950 mil. Numa outra frente, a equipe econômica mudou as regras para exigir que os bancos atualizem mensalmente o valor das taxas cobradas e que incluam em todas as prestações uma parte de juros e amortização (ou seja, abatimento efetivo da dívida). As mudanças só valem para contratos novos.

A medidas foram anunciadas, ontem, após reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN). Com a mudança nas regras do Sistema Financeiro Habitacional (SFH), seria possível, por exemplo, financiar com FGTS um imóvel de até 90 metros quadrados na Barra da Tijuca ou de dois quartos em Botafogo.

— Esse ajuste ocorre de tempos em tempos. É operacional — afirmou a chefe do Departamento de Regulação do Banco Central, Sílvia Marques, quando questionada sobre a necessidade de mudança.

Quando um imóvel é enquadrado no SFH, além de o mutuário poder usar os recursos do FGTS para dar entrada e amortizar parcelas, ainda tem acesso a juros mais baixos. As taxas do sistemas são de, no máximo, 12% ao ano. Desde setembro de 2013, o CMN não mexia nos limites de empréstimo.

 

AQUECIMENTO DE VENDAS

 

O conselho ainda mudou o mecanismo de amortização do saldo devedor. Passará a exigir, a partir de janeiro, que os bancos atualizem mensalmente juros e TR (Taxa Referencial) nas parcelas do mutuário. O CMN ainda vetou que haja parcelas apenas com juros. Assim, será exigido que haja uma proporção de amortização todos os meses.

 

As novas regras vão trazer mais previsibilidade ao mutuário, dizem especialistas. Segundo Samy Dana, professor da Escola de Economia da Fundação Getulio Vargas de São Paulo (FGV-SP), as mudanças no cálculo da prestação, com a atualização mensal de juros e TR, vão permitir uma maior transparência para os consumidores. Segundo ele, alguns bancos em seus financiamentos imobiliários não fazem a atualização mensal da TR. Com isso, diz Dana, o mutuário pode ser obrigado a arcar com parcela extra e residual referente a essa variação acumulada ou a arcar com parcelas maiores em período específico do financiamento.

 

— Tem banco que deixa acumular, e o cliente só percebe depois, quando o valor da parcela aumenta ou vem uma parcela residual. Assim, uma atualização mensal não assusta o mutuário. Essa mudança traz mais transparência. Hoje, com um financiamento o cliente já contrata o financiamento com uma parte de juros prefixados e outra parte pós-fixada, que é representada pela TR — explicou Dana.

 

O veto a parcelas compostas somente de juros durante o financiamento foi elogiado pelos especialistas. Segundo eles, isso vai ajudar a reduzir o risco de inadimplência. Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor executivo de Estudos e Pesquisas Econômicas da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), lembra que, hoje, alguns bancos, ao usarem a Tabela Price, cobram, em determinados períodos do financiamento, como no primeiro ano, apenas os juros, sem a amortização do imóvel.

 

— Assim, de um mês para o outro o valor da prestação sofre um forte aumento, o que pode causar inadimplência. Por isso, considero essa regras prudenciais para se evitar o calote — destacou Oliveira.

 

As mudanças só entrarão em vigor em janeiro do ano que vem. A alteração do limite de financiamento para R$ 950 mil deverá ajudar na venda do estoque das incorporadoras, sem exercer pressão sobre os preços devido ao momento de retração na economia, segundo avaliação de Luiz França, sócio-presidente da França Participações, empresa de soluções para a área de gestão e finanças.

 

— É uma medida importante para o segmento. Nesse momento de crise, vai ajudar a melhorar as vendas. As construtoras já estão reduzindo preço para desovar os estoques e não há espaço para aumentos — disse, lembrando que consumidores que precisavam de um imóvel de maior valor, mas que não queriam se sujeitar a taxas de mercado, agora, podem fazer a aquisição dentro do SFH.

Fonte: O GLOBO