Posts em: Mercado





14 de março de 2017

Entenda as mudanças do FGTS para a compra do seu imóvel

No mês passado o Conselho Monetário Nacional mudou as regras para a utilização do FGTS na compra de imóveis novos. Em 2017 poderão ser financiados com o Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS) imóveis de até R$1,5 milhão. A regra vale para todos os estados brasileiros e para contas ativas e inativas.
Antigamente, o limite era de R$950 mil para quem desejava comprar empreendimento em São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Rio de Janeiro. No restante do país, o limite era de R$800 mil.
O objetivo do governo é estimular a construção civil, que no último ano cortaram milhares de vagas. Além disso, essa é uma oportunidade para quem deseja comprar um imóvel e ter facilidade de pagamento.
Aproveite esse momento e confira os empreendimentos da Fernandez Mera: http://www.fernandezmera.com.br/





25 de novembro de 2016

Governo eleva limite para uso do FGTS na compra da casa própria

Imóvel poderá custar até R$950 mil. Mudança vale para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal

BRASÍLIA, RIO E SÃO PAULO – Para tentar estimular o setor imobiliário, o governo decidiu aumentar o limite para o uso de FGTS na compra de imóveis de R$ 650 mil para R$ 800 mil. Em Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, o valor subirá de R$ 750 mil para R$ 950 mil. Numa outra frente, a equipe econômica mudou as regras para exigir que os bancos atualizem mensalmente o valor das taxas cobradas e que incluam em todas as prestações uma parte de juros e amortização (ou seja, abatimento efetivo da dívida). As mudanças só valem para contratos novos.

A medidas foram anunciadas, ontem, após reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN). Com a mudança nas regras do Sistema Financeiro Habitacional (SFH), seria possível, por exemplo, financiar com FGTS um imóvel de até 90 metros quadrados na Barra da Tijuca ou de dois quartos em Botafogo.

— Esse ajuste ocorre de tempos em tempos. É operacional — afirmou a chefe do Departamento de Regulação do Banco Central, Sílvia Marques, quando questionada sobre a necessidade de mudança.

Quando um imóvel é enquadrado no SFH, além de o mutuário poder usar os recursos do FGTS para dar entrada e amortizar parcelas, ainda tem acesso a juros mais baixos. As taxas do sistemas são de, no máximo, 12% ao ano. Desde setembro de 2013, o CMN não mexia nos limites de empréstimo.

 

AQUECIMENTO DE VENDAS

 

O conselho ainda mudou o mecanismo de amortização do saldo devedor. Passará a exigir, a partir de janeiro, que os bancos atualizem mensalmente juros e TR (Taxa Referencial) nas parcelas do mutuário. O CMN ainda vetou que haja parcelas apenas com juros. Assim, será exigido que haja uma proporção de amortização todos os meses.

 

As novas regras vão trazer mais previsibilidade ao mutuário, dizem especialistas. Segundo Samy Dana, professor da Escola de Economia da Fundação Getulio Vargas de São Paulo (FGV-SP), as mudanças no cálculo da prestação, com a atualização mensal de juros e TR, vão permitir uma maior transparência para os consumidores. Segundo ele, alguns bancos em seus financiamentos imobiliários não fazem a atualização mensal da TR. Com isso, diz Dana, o mutuário pode ser obrigado a arcar com parcela extra e residual referente a essa variação acumulada ou a arcar com parcelas maiores em período específico do financiamento.

 

— Tem banco que deixa acumular, e o cliente só percebe depois, quando o valor da parcela aumenta ou vem uma parcela residual. Assim, uma atualização mensal não assusta o mutuário. Essa mudança traz mais transparência. Hoje, com um financiamento o cliente já contrata o financiamento com uma parte de juros prefixados e outra parte pós-fixada, que é representada pela TR — explicou Dana.

 

O veto a parcelas compostas somente de juros durante o financiamento foi elogiado pelos especialistas. Segundo eles, isso vai ajudar a reduzir o risco de inadimplência. Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor executivo de Estudos e Pesquisas Econômicas da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), lembra que, hoje, alguns bancos, ao usarem a Tabela Price, cobram, em determinados períodos do financiamento, como no primeiro ano, apenas os juros, sem a amortização do imóvel.

 

— Assim, de um mês para o outro o valor da prestação sofre um forte aumento, o que pode causar inadimplência. Por isso, considero essa regras prudenciais para se evitar o calote — destacou Oliveira.

 

As mudanças só entrarão em vigor em janeiro do ano que vem. A alteração do limite de financiamento para R$ 950 mil deverá ajudar na venda do estoque das incorporadoras, sem exercer pressão sobre os preços devido ao momento de retração na economia, segundo avaliação de Luiz França, sócio-presidente da França Participações, empresa de soluções para a área de gestão e finanças.

 

— É uma medida importante para o segmento. Nesse momento de crise, vai ajudar a melhorar as vendas. As construtoras já estão reduzindo preço para desovar os estoques e não há espaço para aumentos — disse, lembrando que consumidores que precisavam de um imóvel de maior valor, mas que não queriam se sujeitar a taxas de mercado, agora, podem fazer a aquisição dentro do SFH.

Fonte: O GLOBO

 

 





23 de agosto de 2016

5 segredos para que a sua venda seja um sucesso

Aproveitando mais uma vez a Semana do Corretor, vamos listar alguns segredos que ajudam você a vender mais. Obviamente esses não são os únicos métodos capazes de atrair os clientes, mas costumam funcionar bem. Confira:

Valorize as dúvidas
Independentemente de qual seja a dúvida do cliente, ouça atentamente e procure solucioná-la. Se ele está questionando algo, é por que realmente tem interesse em adquirir um imóvel e quer contar com a sua experiência para ajudá-lo. Transmitir confiança e conhecimento nesse momento é fundamental!

Evite processos automáticos
Ouça o que o seu cliente tem a dizer e os seus anseios, sempre indicando a melhor solução para o que ele procura. Às vezes, no ímpeto de cumprir o protocolo, podemos deixar de prestar atenção ao público, para apenas transmitir as informações sobre os empreendimentos. Por isso, fique atento a todos os detalhes e perceba quais são os maiores interesses do seu cliente – para atendê-los, obviamente.

Crie experiências
Ao comprar um carro, o mais interessante é fazer um test drive, não é mesmo? Como esse tipo de experiência não é possível em um imóvel, deixe o seu cliente alguns minutos sozinho no apartamento decorado. Esses momentos (sozinho ou ao lado da família) farão ele pensar melhor sobre a compra e se imaginar morando no empreendimento.

Qualifique o cliente
Em vez de pressionar a pessoa para fechar negócio, gere expectativas quanto ao futuro. Para fazer isso, você pode calcular as parcelas do financiamento e questionar: daqui a um ano você estará ganhando o mesmo que hoje? Provavelmente, o seu cliente espera ganhar mais no futuro e isso poderá encorajá-lo ainda mais a efetuar a compra.

Coragem
Por último – mas não menos importante – tenha coragem para mudar a abordagem e estar sempre renovando as estratégias de venda. Lembre-se de que cada cliente possui uma personalidade e é dever do corretor entendê-la, para oferecer o melhor serviço a ele.





16 de junho de 2016

Startup cria ferramenta que ajuda a calcular o preço do aluguel

Que tal poder calcular o preço do aluguel de forma rápida e fácil antes de alugar o imóvel? Uma startup desenvolveu uma ferramenta em seu site para ajudar o dono de um imóvel a chegar em um preço justo para o futuro inquilino.

O funcionamento é bem simples: a partir do preenchimento de 10 questões rápidas sobre o imóvel, como o número de banheiros e área total, um algoritmo com inteligência artificial cruza características de todas as residências que já passaram pelo site da empresa. Usando o valor aplicado em contrato e métodos estatísticos a calculadora estabelece um preço médio adequado. Quanto mais imóveis são cadastrados no site, mais preciso é o cálculo.

A atual versão funciona apenas para apartamentos residenciais em São Paulo e na região de Campinas. E a proposta é uma superajuda, uma vez que, sabendo o valor médio do aluguel, fica mais fácil para o proprietário fechar negócio. A informação também é útil para os possíveis inquilinos, que saberão os valores estimados dos imóveis e o que esperar das negociações. A grande vantagem é que iniciativas como essa beneficiam o mercado imobiliário: os contratos são fechados com facilidade, rapidez e conforto, economizando o tempo dos clientes e do corretor.





21 de março de 2016

Os charmes de morar na Mooca

 

Morar na Mooca não é apenas estar em um dos bairros mais antigos e tradicionais da cidade de São Paulo. Localizado na Zona Leste, o bairro é famoso por seu clima acolhedor, completo e que reúne, ao mesmo tempo, tradição e modernidade.

Isto porque, a Mooca mescla sua arquitetura única, entre casarões antigos e fachadas de vários estilos à boa infraestrutura e residências modernas, como os recém-lancados apartamentos da Stamp Mooca. O bairro também conta com estação de metrô, várias linhas de ônibus e ciclovias, que facilitam o transporte a outras regiões da cidade.

Impossível não citar, ainda, o Estádio Conde Rodolfo Crespi, que acolhe milhares de mooquenses e torcedores do Clube Atlético Juventus, os “grenás”, além ser palco de shows e eventos, em seus 80 000 m².

E quem gosta de tradição pode, aos finais de semana, levar a família para um passeio na locomotiva Maria-Fumaça, original de 1922, que sai da estação da Mooca e percorre três quilômetros em uma viagem de 25 min, passando por uma vila ferroviária do século passado.

Além disso, uma vez por ano, também é possível aproveitar a Festa de San Gennaro, que acontece há mais de quatro décadas, lotando as ruas da região com comidas típicas italianas, como macarronada, fogazza, polenta e pizza. Imperdível, não?