Posts em: Sustentabilidade





5 de junho de 2016

Preserve o meio ambiente

O conceito de sustentabilidade está muito mais presente entre nós ultimamente, seja pela falta de água, pela seca ou pela conscientização de que devemos deixar este mundo um pouquinho melhor para as próximas gerações.

Mas como aplicar a sustentabilidade em casa? A atitude tem que nascer de cada um. Basta que as pessoas entendam que pequenas ações podem fazer uma grande diferença em conjunto. Banhos mais rápidos, fechar a torneira ao escovar os dentes, reutilizar a água de máquinas de lavar para limpar quintais e garagens, reciclar o lixo, não jogar óleo de cozinha na pia. São pequenas atitudes do dia a dia, que se feitas por muitas pessoas podem gerar um resultado enorme para o meio ambiente.

A palavra de ordem atual é conscientização e coletivo. Pensando nos outros e no todo, cada um terá seu conforto individual. Vamos plantar hoje para colher amanhã?

 





2 de abril de 2015

Tenha uma vida sustentável diariamente

Impregnar nosso cotidiano de práticas sustentáveis é um dos caminhos a serem percorridos para preservar a qualidade de vida das futuras gerações. Simples dicas para mudanças de hábitos são passos importantes que contribuem para uma sólida mudança planetária. Com atitudes que visam a preservação dos recursos naturais, mantendo o equilíbrio ecológico em nosso planeta, as práticas sustentáveis estão relacionadas à diminuição da poluição, incentivo à reciclagem, reflorestamento, uso responsável da água e eliminação do desperdício. O objetivo é reduzir ao máximo os impactos ao meio ambiente. Confira nossas dicas:

Recicle: Você sabia que mais da metade do lixo da sua casa pode ser reciclado? Basta separar os materiais recicláveis do lixo orgânico e do que não pode ser reciclado e descartá-lo em centros de coleta seletiva;

Faça compostagem: O ato de transformar resíduos orgânicos em adubo é benéfico para o meio ambiente. Conheça as composteiras domésticas da Morada da Floresta; http://www.moradadafloresta.org.br/produtos-principal/composteiras-domesticas

Precisa mesmo do ar-condicionado? Na maior parte das vezes, uma janela aberta resolve o incômodo do calor. Quando for usar o ar-condicionado, aumente em 2 graus. Com essa atitude, você evita que 900 kg de dióxido de carbono por ano subam para a atmosfera. Uma boa alternativa é usar um bom ventilador, que consome menos energia do que o ar-condicionado;

Utilize lâmpadas fluorescentes: Elas são mais econômicas e gastam até 65% menos energia, além de durarem até 10 vezes mais do que as lâmpadas comuns, reduzindo, assim, a geração de resíduos;

Prefira eletrodomésticos ecoeficientes – Compre apenas eletrodomésticos que tenham avaliação “A” no selo Procel. Eles ajudam a diminuir sua conta de luz e permitem o uso mais eficiente de energia elétrica. Veja no site a lista completa dos eletrodomésticos que tem o selo Procel;

Feche a tampa da panela: Com isso há uma maior concentração de calor e economia de gás de cozinha;

Feche bem a porta da geladeira: Caso ela fique aberta, há um maior consumo de energia para manter a temperatura. Pense no que quer pegar antes de abri-la. Evite manter a temperatura interna do refrigerador inferior a 5 graus. Isso aumenta o consumo energético em cerca de 7%;

Trabalhe em casa: Se a sua atividade profissional permite, trabalhe remotamente alguns dias por semana. Ao trabalhar de casa, você gasta menos combustível e diminui o estresse do deslocamento;

Desligue o monitor:  Quando sair da sala de trabalho, desligue o monitor do computador. As proteções de tela também gastam energia que pode ser economizada apenas ao apertar um botão;

Reduza as impressões: Pense antes de imprimir, com isso há economia de tinta e de papel. A fabricação de mais papel faz com que sejam derrubadas mais árvores, aumentando o aquecimento global e diminuindo a qualidade do ar e da água. Caso seja necessário imprimir, opte sempre pelo papel com selo FSC, imprima só o necessário no modo econômico e utilize os dois lados da folha;

Utilize transporte coletivo: Caso você não possa fazer home office, tente trocar o transporte individual por coletivo ou bicicleta. Outra opção é dividir o percurso com colegas de trabalho;

Vá de escada: Crie o saudável hábito de substituir o elevador pelas escadas. Além de economizar energia, você fará um bem enorme para a sua saúde.

Racionalize o uso de pilhas: procure usar pilhar recarregáveis. Quando acabar sua validade, deposite-as em caixas coletoras específicas. As pilhas contaminam a água e o solo, com mercúrio e cádmio, e a atmosfera com vapores tóxicos;

Faça revisão regularmente em seu carro: Dessa forma você economiza combustível e despeja menos CO2 na atmosfera.

Fique atento à conta de luz: perceba quantos aparelhos eletrônicos ficam no modo de espera (stand-by) constantemente. Crie o hábito de tirar televisão, DVDs, sons e outros aparelhos da tomada e calcule a economia na conta;

Seja um agente voluntário do “apagão”: Saia por aí apagando todas as luzes seja em casa, no trabalho, em banheiros públicos, restaurantes ou onde encontrar uma lâmpada acessa desnecessariamente. A conta nem sempre é você quem paga, mas o prejuízo ambiental reflete em todo o planeta;

Evite os descartáveis: prefira os alimentos fora das bandejas de isopor, o copo de vidro, as sacolas e guardanapos de pano, enfim, todo produto que se use, lave e use novamente. Assim, você economiza os recursos da natureza e diminui a quantidade de lixo, um dos grandes problemas do nosso tempo.

Leia os rótulos dos produtos: Evite os que possam conter transgênicos. Na dúvida, não compre.

Reflita, inspire outros, plante: Se cada brasileiro plantar uma árvore, serão 190 milhões de árvores a mais por ano no país. Se o mundo todo plantar, serão 6,5 bilhões. Uma árvore em crescimento absorve mais dióxido de carbono da atmosfera do que emite, reduzindo os gases responsáveis pelo aquecimento global.





29 de dezembro de 2014

Implemente a coleta seletiva em seu condomínio

Os conceitos de reciclagem e coleta seletiva já não são novidade para boa parte da população. Mesmo que muita gente não tenha o hábito de separar os diferentes tipos de lixo em suas próprias residências, muitos já usaram o serviço em praças de alimentação e em alguns prédios comerciais. A separação dos materiais é feita por meio de lixeiras diferenciadas por cor, que indicam quais os materiais recicláveis (vidro, metal, papel, plástico) devem ser separados do lixo comum na hora do descarte.

Alguns prédios residenciais já tornaram a coleta seletiva como padrão, mas muitos condomínios  ainda buscam pôr em prática esse sistema e encontram dificuldades para saber como e onde começar.

Para ajudar a resolver isso, o eCycle disponibiliza abaixo um guia básico sobre como iniciar a coleta seletiva em seu condomínio:

Espaço e conscientização
Antes de tudo, é necessário lembrar que só se pode implantar a reciclagem caso haja espaço e condições adequadas. Definir quais materiais serão coletados e orientar os funcionários a não misturar os sacos de diferentes tipos de resíduos são as primeiras medidas. Em seguida, os moradores e funcionários devem ser conscientizados da importância do descarte correto, pois algumas pessoas têm pouco interesse ou nenhuma informação sobre o assunto.

Na seção Guia da Reciclagem do eCycle você pode se embasar para promover uma campanha de conscientização. Matérias sobre o que é lixo, quanto tempo ele demora para se decompor, os motivos para se reciclar e como ser consciente no consumo fazem parte do guia.

Três passos
A Associação Brasileira dos Condomínios (Abracond) aponta três importantes questões a serem observadas antes de iniciar a coleta seletiva:

1. Local de armazenamento
É necessário que o ambiente esteja sempre limpo e fechado para evitar o mau cheiro e a entrada de ratos, baratas, mosquitos e outros animais que possam contribuir para o surgimento de doenças. Uma solução usada por alguns prédios é o uso de contêiners de plástico, equipamento mais fácil de gerir.

2. Cuidado com papéis e plásticos
É preciso tomar muito cuidado com papéis e plásticos, pois são materiais de alta combustão e que podem causar incêndios. Por conta disso, as seguradoras devem ser avisadas para que haja ressarcimento compatível com o acidente ocorrido. Se não houver o contato, a empresa seguradora pode alegar omissão por parte do condomínio, gerando mais problemas para todos os envolvidos.

3.Treinamento para os responsáveis
Outra importante questão é sobre o responsável por manipular os materiais. Os profissionais de limpeza devem receber treinamento, usar os equipamentos adequados, receber pagamento por insalubridade e outras medidas para evitar ferimentos e ocorrências mais graves.

Fonte: http://www.ecycle.com.br/component/content/article/35/335-o-passo-a-passo-para-implementar-a-coleta-seletiva-em-condominios.html





22 de outubro de 2014

Escultura que parece árvore gera água potável a comunidades

Inspirado pela forma exuberante da Warka (uma frondosa figueira nativa da Etiópia), o artista italiano Arturo Vittori criou uma imensa estrutura que produz água através da condensação do vapor.

Chamada de WarkaWater Tower, a escultura é feita com hastes de bambu e junco entrelaçadas, que formam a base da torre. No interior, uma malha de plástico de fibras de nylon e polipropileno funciona como microtúneis ou poros para a condensação. A medida que as gotas de água se formam, elas fluem através da malha e se depositam no recipiente na base da torre.

A WarkaWater Tower consegue fornecer quase 100 litros de água potável por dia. A ideia de Vittori é que pelo menos duas torres sejam instaladas em vilarejos da Etiópia em 2015. Segundo estudo das Nações Unidas, o país é o que tem a menor disponibilidade de água no mundo e a de pior qualidade.

A WarkaWater Tower leva em média uma semana para ser construída por um grupo de quatro pessoas. O artista italiano acredita que as torres possam ser feitas pelas próprias comunidades, com material disponível localmente, tornando este um projeto sustentável e de longo prazo.

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/





8 de outubro de 2014

Sustentabilidade: como aplicá-la em casa?

 

 

O conceito de sustentabilidade está muito mais presente entre nós ultimamente, seja pela falta de água, pela seca ou pela conscientização de que devemos deixar este mundo um pouquinho melhor para as próximas gerações.

Mas como aplicar a sustentabilidade em casa? A atitude tem que nascer de cada um. Basta que as pessoas entendam que pequenas ações podem fazer uma grande diferença em conjunto. Banhos mais rápidos, fechar a torneira ao escovar os dentes, reutilizar a água de máquinas de lavar para limpar quintais e garagens, reciclar o lixo, não jogar óleo de cozinha na pia. São pequenas atitudes do dia a dia, que se feitas por muitas pessoas podem gerar um resultado enorme para o meio ambiente.

A palavra de ordem atual é conscientização e coletivo. Pensando nos outros e no todo, cada um terá seu conforto individual. Vamos plantar hoje para colher amanhã?

 

Fonte: http://www.atitudessustentaveis.com.br/