Posts taggeados em: pesquisa





4 de agosto de 2017

Pesquisa indica recuperação do mercado imobiliário

Pesquisa realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) apontou que o número de lançamentos e vendas em maio foi maior em relação ao mês anterior. A Fipe levou em consideração dados de 20 empresas da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).
Em maio o total de lançamento foi de 5.827, cerca de 3,1% a mais em relação a abril. Esse salto foi causado principalmente pela grande oferta de empreendimentos imobiliários enquadrados no programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), que somaram 4.820 unidades, alta de 62,3%. Os empreendimentos de médio e alto padrão totalizaram 1.007 unidades no mês, queda de 61,1%.
Vendas
A venda de imóveis em maio foi de 9.581, o que representou um aumento de 12,8%. O crescimento também foi impulsionado pelos produtos Minha Casa Minha Vida, que vendeu 4.439 unidades, 28,3% a mais.  Até maio deste ano, foram vendidos 39.970 imóveis, 1,3% a mais que o mesmo período de 2016.





21 de maio de 2014

Pesquisa mostra que classe alta dos EUA prefere investir em imóveis

Uma nova pesquisa da Gallup, realizada com adultos em 50 estados mais o Distrito de Columbia, perguntou para os norte-americanos qual eles consideram o melhor investimento de longo prazo. O mercado imobiliário voltou para o primeiro lugar, com 30% das respostas. Há três anos, essa era a escolha de apenas 19% dos americanos. Em segundo lugar, empatam ouro e mercado de ações, cada um com 24% das respostas.

Aí, no entanto, está uma diferença importante entre os diferentes grupos de renda. As famílias com renda anual abaixo de 30 mil dólares foram as únicas que escolheram o ouro como melhor investimento de longo prazo, com 31%. Entre os mais ricos – com renda acima de 75 mil dólares – o ouro cai para terceiro lugar, bem abaixo do mercado imobiliário (38%) e ações (30%).

Não é difícil de imaginar o porquê. Comprar e vender imóveis exige, além de informação, bastante paciência, já que é quase impossível realizar o investimento de um dia para o outro. O ouro, por outro lado, é mais seguro e imediato. O valor não se altera drasticamente de uma hora para outra e há diversas formas de transformar o produto em dinheiro a qualquer momento.

 

Fonte: Exame





9 de abril de 2013

Pesquisa aponta os 10 profissionais mais felizes em 2013 e o corretor de imóveis lidera a lista

Estudo divulgado pelo site Career Bliss apontou quais as profissões que trazem mais felicidade para os profissionais. Mais de 65 mil profissionais americanos participaram e, de acordo com o ranking, aqueles que combinavam uma boa relação entre chefes e colegas, um ambiente profissional agradável, salário satisfatório, oportunidades de crescimento, além das tarefas diárias e controle sobre a própria agenda, tiveram notas mais altas.

Segue a lista completa:

1. Corretor de imóveis

Os corretores de imóveis lideram a lista de felicidade do Career Bliss. A combinação entre horários flexíveis, domínio da própria agenda, possibilidade de conhecer novas pessoas e recompensas financeiras é a razão provável para tanta satisfação. Taxa de felicidade: 4.26

 

2. Engenheiro de qualidade sênior

Com a missão de acompanhar todo o processo de desenvolvimento de um produto, esses profissionais passam o expediente fazendo testes e escrevendo relatórios, entre outras atribuições. Mesmo assim, os engenheiros de controle de qualidade de software americanos estão muito felizes com sua rotina de trabalho, obrigado. Principais motivos? A relação que mantém com os colegas de trabalho e a empresa para a qual trabalham. Taxa de felicidade: 4.23

 

3. Representante de vendas sênior

Atenção administradores. Essa é uma vaga que profissionais formados na área têm muitas chances de atuar. De acordo com o CareerBliss, nos EUA, a razão para tanto contentamento está relacionada ao domínio que estes profissionais têm sobre a própria agenda e as atividades que realizam diariamente. Taxa de felicidade: 4.19

 

4. Superintendente de obras

Este profissional é responsável por controlar a rotina diária da construção imobiliária. É ele quem garante a segurança dos trabalhadores, produtividade e o cumprimento dos prazos. Trabalha em conjunto com o gerente de operações da construção – que também aparece no ranking. Taxa de felicidade: 4.10

 

5. Desenvolvedor de aplicativos sênior

Os programadores de computadores ganharam uma nova função nos últimos anos: desenvolver aplicativos para dispositivos móveis, como celulares e smartphones. O programador se vale dos mesmos conceitos que usava há cinco anos com a diferença que a plataforma mudou, os serviços se sofisticaram e o conceito de interação usuário e dispositivo foi revolucionada. Taxa de felicidade: 4.08

 

6. Gerente de logística

Gerente de logística é outra função que administradores costumar atuar. É dele a tarefa de coordenar o planejamento da produção, estocagem, distribuição e o transporte de produtos, tendo em vistas os recursos da empresa, para atender aos prazos de entrega. No Brasil, tem sido muito demandado na indústria, no setor de construção e na área de exploração de petróleo. Taxa de felicidade: 4.07

 

7. Gerente de obras

Em conjunto com o superintendente de obras, o gerente tem a missão de coordenar a execução do projeto de construção. De acordo com o BLS, eles podem atuar desde os estágios iniciais de elaboração do projeto até o término da obra. Taxa de felicidade: 4.06

 

8. Assistente administrativo executivo

No Brasil, a carreira passou por uma revolução nos últimos anos. Os assistentes executivos devem ter fluência em, no mínimo, dois idiomas, além de diploma de ensino superior (de preferência em Administração). Taxa de felicidade: 4.04

 

9. Engenheiro de redes

O engenheiro de redes tem a missão de analisar a capacidade de atendimento da estrutura física do servidor e da estrutura de software para, com base nestas conclusões, determinar a rede física de servidores e roteadores, além de programas específicos para possibilitar o andamento do serviço online. Taxa de felicidade: 4.02

 

10. Assistente de controller

Ele reporta seu trabalho diretamente ao controller e tem a tarefa de verificar a rentabilidade dos projetos, acompanhar o fechamento financeiro e elaborar o planejamento da área de finanças da empresa. Taxa de felicidade: 4.02

 

Fonte: http://www.administradores.com.br/ com informações da Exame.com





10 de novembro de 2011

Pesquisa revela como será a casa de 2015

Uma pesquisa conduzida ao longo do ano passado nos Estados Unidos pela Associação Nacional de Construtores (National Association of Home Builders) revelou o que pensam os profissionais do setor da construção civil, entre arquitetos e designers, sobre como serão as casas nos EUA em 2015 e aponta que a crise no setor impactou não apenas a venda de imóveis hoje, mas a estrutura daqueles que ainda estão por serem construídos no futuro próximo.

Bom, a primeira tendência identificada pelo estudo não é exatamente uma surpresa: as casas vão diminuir de tamanho. Para fins de exatidão, a pesquisa aponta que os imóveis serão 10% menores que as casas construídas no primeiro semestre de 2010, com metragem de, no máximo, 200 metros quadrados. O motivo? Tudo indica que os consumidores estão decididos a baixarem os custos de manutenção de um imóvel. Outra razão, de acordo com a pesquisa, é que, até 2020, 29% dos americanos estarão na faixa etária acima dos 55 anos, aumentando a demanda por casas menores.

Metragem mais enxuta exige o melhor aproveitamento possível dos cômodos. Prova disso é que suítes suntuosas, garagens majestrais e salas de visitas palacescas definitivamente não “cabem” mais na casa de 2015. Espaços generosos e bem divididos dão lugar a um grande cômodo, integrado e que reúna cozinha, sala de estar e sala de televisão. A suíte principal, ao invés de isolada, será construída no térreo, mas com espaço suficiente para um bom closet. Quando ao número de carros a serem armazenados na garagem, a aposta é que não sejam mais que dois para uso da família.

Se a sustentabilidade já é importante para a construção civil dos dias de hoje, o melhor é exercitar a mentalidade eco-friendly, pois, de acordo com a pesquisa as casas vão ficar ainda mais verdes. Um dos itens que não vão faltar na casa dos próximos anos é a janela com vidro do tipo low-e (de baixa emissividade e que oferece mais conforto térmico interno). Além disso, todas as casas vão contar com o selo Energy Star, padrão que comprova, e aprova, a eficiência energética de utensílios e produtos e que podem contribuir para uma redução na emissão de gases que causam o efeito estufa.

Fonte: Exame.com

A Fernandez Mera sempre atualizada com as informações do mercado disponibiliza imóveis do tamanho ideal para você e sua família, conheça em nosso portal acessando www.fmera.com.br





22 de julho de 2011

Mercado | Uma nova geração

O mundo muda e hoje somos o país “do presente”. Esta é a visão da primeira geração global de brasileiros, captada pelo estudo O Sonho Brasileiro, realizado pela Box 1824 em parceria com o Datafolha e com patrocínio do Itaú Unibanco e da Pepsi. Ainda segundo a pesquisa, em cinco anos, viveremos no “país das realizações”, acreditam 46% dos entrevistados.

Sem viés de consumo ou fins lucrativos, a pesquisa contou com mais de 3 mil entrevistas em 173 cidades do país. O resultado é que a atual geração é sonhadora (34% dos entrevistados) e otimista em relação ao futuro do Brasil (75%).

O resultado também mostra que ganhar muito dinheiro e ascender rapidamente já não é prioridade para grande parcela da geração Y (formada pelos nascidos a partir da década de 80). Os jovens, hoje, querem ser atuantes na sociedade, contribuir com o país, conseguir uma boa formação e realizar-se profissionalmente.

Veja outras características sobre os jovens brasileiros apontadas na pesquisa:

- 9 em cada 10 jovens entre 18 e 24 anos têm orgulho de ser brasileiros e querem exercer uma profissão que ajude a sociedade;

- 28% sonham com oportunidades para todos, 18% desejam menos violência e 13% esperam o fim da corrupção;

- 50% dos jovens brasileiros se conectam mais com discursos coletivos que individualistas.

- Apenas 5% elegeram como prioridade “ficar ricos” e 15% colocaram o sonho da casa própria no topo de sua lista.

O Itaú Unibanco acredita que essa pesquisa é o primeiro passo para entender que muito está sendo feito pelo Brasil. O levantamento, segundo o banco, é um retrato de um futuro promissor, de dias melhores, cultivados desde sempre na mente e no coração de milhares de jovens.

Estudos como esse nos fazem acreditar na construção de um mundo melhor.

Acesse e divulgue o conteúdo da pesquisa em www.osonhobrasileiro.com.br.